domingo, 11 de maio de 2008

Obra de arte


Faço pães. Misturo farinha, sal, água com especiarias, grãos, passas, nozes, alecrim, ervas finas, açúcar mascavo, que inundam minha cozinha com aromas indicando que esta alquimia é a certeza que a nova escolha que fiz para mim é correta.
Olho para minha obra e vejo que continuo no caminho artístico que tanto quis seguir e não consegui. Tentei dançar, atuar, desenhar... Na verdade, por medo, saí pela tangente e fui dar aulas de artes para crianças.
Percorro o caminho de volta a mim mesma e vejo que o medo, a insegurança foi companheira constante. Mas o quê passou, passou e então resolvi “futucar” meu coração e escolher uma outra paixão. Deixei para trás sonhos e acabei por perceber que sou múltipla. Que sonhos não precisam ser eternos, mas que mesmo com uma pontinha de frustração, podemos criar novas estradas para nosso coração.
Meus pães promovem a delícia das coisas boas, o aconchego da comida caseira, o prazer dos aromas que invadem espaços e despertam sentidos. E acima de tudo contribuem para me fazer perceber que posso tudo, que consigo dar a volta por cima e que os obstáculos estão aí para serem contornados.
Vejo o meu quadro e me sinto orgulhosa! Eles são obras de arte como as pinturas do meu lindo marido, Celso Mathias.

Um comentário:

A FANTÁSTICA FÁBRICA DE SONHOS ILUSTRADOS disse...

Esses pães são espetaculares!!!!HUMMMMMMMMMMMMMM!! Encomendem, encomendem!!!!!! Estão esperando o q???