terça-feira, 30 de março de 2010

Somente




Após tanto andar, resolveu sentar. Parar um pouco. Pensar. Não imaginava que a sorte sobrevoava as cores de sua roupa pensando exatamente que esta era uma flor. Uma flor esquisita, de forma estranha, mas ainda assim uma flor.  Ambas pensavam... A sorte e mulher tinham diante de si mesmas as cores da esperança. Uma olhava o mar, a outra pousava na flor.

2 comentários:

CELSO MATHIAS disse...

Lindo o texto Amor!! ESPETACULAR! POÉTICO e inspirador!!
TA MUITO!!!

CELSO MATHIAS disse...

A foto é minha"Dona Fernanda" cadê o crédito??? KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Só os meus dedos ultra rápidos e meus refexos de THE FLASH pra captar isso.

Sim tudo bem, vc viu antes e me mostrou, mas outro, teria desfocado a borboleta!!EU NÃO!!

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Mas de qualquer maneira ta tudo em casa e o texto emoldurou a foto primorosamente.

TATATATATA